Sem categoria

você tem um novo e-mail.

onde foi parar aquela menina que eu me apaixonei? pra onde foi aquela ingenuidade,
aquele olhar de crianca? não te vejo mais assim. não vejo mais alguém que pense em
“nós”, mas sim alguém só pensa em si. não foi por essa menina que eu chorei noites
e perdi o sono.
se hoje não te amo mais é por não saber quem você é. amo aquela menina que me fez a
pessoa mais feliz, que ninguém vai conseguir fazer. amo aquela que fez o tempo parar
e que me mostrou a felicidade que eu até então não conhecia.
mas dessa? dessa de agora, eu não gosto. eu não amo.
só nós duas sabemos o que queremos e eu sei que isso você ainda não esqueceu. você
ainda sabe o caminho, ainda sabe os motivos, mas você parou e não faz nada por isso.
e eu já cansei de tentar, de falar, de pedir, de até implorar. então se você quiser,
tenta. e me mostra que pelo menos tentou, demonstra que você sabe o que quer.e demonstra
que você realmente mudou, e que isso que você é agora… é só por não saber ser como
era antes. ou me mostra que o que você se tornou, é melhor do que era. mas não me mostra
o que você acha que é o melhor, me mostra o melhor verdadeiro. aquele que a gente sente
aqui dentro, e só a gente sabe. porque esse seu “mudei e pra melhor” eu não aceito.
e tanto eu quanto você sabemos que essa aí não é você e nunca vai ser. então pare de fingir
ser alguém que você não é. cresça. e se não crescer por nós duas, cresça por você mesma.
e entenda, que quando eu digo crescer, não é ser adulto chato, não é ser a pessoa certa. é
apenas agir da forma correta. e se agir da forma errada, arcar com suas consequencias.
sei que eu fui grossa, que essas palavras doeram em você, da mesma forma que doeram em
mim enquanto sairam. queria nunca ter que te dizer isso, mas tive. e sei que cedo ou tarde,
você acabara entendendo o que quero dizer.
– 2006.
Padrão